Futebol. Mavuba pode ser a próxima ‘joia’ dos palancas

Futebolista evolui na Bélgica 

Mateus Xavier

Aos 23 anos, Jonathan Mavuba apresenta-se como sendo a próxima referência entre os angolanos a evoluírem no futebol profissional na Europa. O extremo esquerdo vive a melhor fase da carreira ao serviço do RFC Warnant da II Liga da Bélgica, de onde pode sair para um clube grande do campeonato local.

“Está a ser uma boa época. É pena o campeonato ter parado, por força das medidas de prevenção à pandemia”, adiantou-se a esclarecer o jogador, embora assegure não ter qualquer receio de a interrupção vir a influenciar negativamente o seu ritmo competitivo.

“Não! A liga está parada, mas nós continuamos a treinar com naturalidade. Estamos concentrados e efectuamos testes à Covid com regularidade e, também, estamos vacinados”, acrescentou.

Do ainda curto percurso do jovem futebolista, realce para a formação nas escolas do RSC Anderlecht, onde aprendeu o ABC do futebol nos escalões de sub-6 e sub-11 e deu início a carreira no futebol belga, entre 2004 e 2010, antes de rumar para os sub-12 e sub-15 do FC Brussels, onde permaneceu no período de 2010 a 2013.

Ao longo da sua formação no futebol belga, Mavuba teve igualmente passagens pelos sub-15 e sub-16 do KAA Gent (2013 a 2015), sub-17 do AFC Tubize (2015-2016), sub-18 do AFC Bournemouth (2016-2017) e sub-19 do KVO Ostende (2017 a 2019), antes de se estrear num campeonato profissional, ao serviço do Clube Figueirense de Portugal, nas épocas 2019-2020.

No regresso à Bélgica, em 2021, Jonathan Mavuba recebeu a proposta para representar o RFC Warnant do segundo escalão nacional, onde espera gozar de maiores oportunidades para ganhar a visibilidade necessária. Mas, para tal, o jogador acredita que será fundamental ajudar a equipa a subir à primeira divisão.

“Estamos na quinta posição do campeonato e temos a ambição de fazer o melhor. O objectivo é subir à liga principal. Quero dar o meu melhor e ajudar a equipa a atingir os seus objectivos. Espero ter esta oportunidade para subir à primeira divisão nacional”, confessou.

No horizonte do extremo esquerdo angolano está o sonho de representar os Palancas Negras. Mavuba diz estar ansioso por vestir a camisola da Selecção Nacional e garante estar decidido em tudo fazer para atingir tal desiderato.

“Quero jogar pela selecção de Angola. Tenho dupla nacionalidade, mas ambiciono jogar pelos Palancas e, se Deus quiser, conhecer a terra onde nasceu os meus pais”, disse, para em seguida confessar ter assistido poucos jogos da selecção de honras.

“Vi alguns jogos pela internet, porque aqui na Bélgica não temos facilidade para a visualização de canais angolanos. Estou a ver alguns jogos do CAN, que decorre nos Camarões e vejo, muito sinceramente, que podíamos estar presentes. Temos qualidade”, afirmou.

“Estarei disponível, se precisarem de mim, porque é uma ambição pessoal vestir a camisola da selecção”.

Dos vídeos dos jogos disponíveis nas redes sociais em que intervém Jonathan Mavuba, é possível ver um jogador com bom recorte técnico, qualidade de passe e faro de golo. Mas, o extremo, garante ter muito mais para mostrar:

“Sou um jogador rápido, forte a jogar com os dois pés, sobretudo o esquerdo e também forte no um-para-um”.

Questionado sobre a experiência que teve no futebol português, se comparado àquele vivenciado na Bélgica, o futebolista angolano disse não ter dúvidas de que a diferença está no aspecto físico.

“O futebol belga é muito técnico e pouco físico, diferente de Portugal, onde senti mais o futebol físico”, disse.

AMBIÇÃO PARA ALTOS VOOS. Mavuba acredita que pode, tão-cedo quanto possível, beneficiar de uma oportunidade para estrear-se na selecção dos Palancas Negras. Sustenta o seu optimismo com o facto de estar a constatar uma abertura do seleccionador Pedro Gonçalves para a entrada de novos talentos.

“Das poucas informações que tenho da nossa selecção, sei que o seleccionador está a efectuar uma renovação da equipa. Penso que esta seria a melhor ocasião para mostrar-me ao meu país”, defendeu o futebolista, que aplaude a ideia de Pedro Gonçalves em alargar o leque de opções para os angolanos que evoluem noutros campeonatos.

“Quanto maior for a abertura da selecção para outros jogadores, para mim será sempre uma oportunidade para estar presente e mostrar o quanto valho”, disse.

“Repito: estarei disponível para jogar pela selecção de Angola, caso essa seja a vontade do seleccionador”, acrescentou.

Mavuba não escondeu a preocupação com o facto de a pandemia da Covid-19 continuar a restringir os espaços do futebol e da vida normal das pessoas. Admitiu que tem sido um “grande empecilho” para a carreira de muitos jogadores, “sobretudo para aqueles com histórico de casos positivos”.

Por isso, confessou, “não está a ser mais uma época fácil”, por tratar-se do terceiro ano consecutivo com o vírus a ameaçar a vida normal das pessoas.

“Estou a fazer de tudo para cumprir uma época com êxito. É o terceiro ano com a pandemia e alguns jogos têm sido adiados, causando um desconforto às equipas e aos futebolistas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PROCURAR